(Resenha): O Último Adeus

O Último Adeus
Autor: Cynthia Hand
Nota: ★★★★★
Editora: DarkSide Books
Páginas: 352



“O último adeus é narrado em primeira pessoa por Lex, uma garota de 18 anos que começa a escrever um diário a pedido do seu terapeuta, como forma de conseguir expressar seus sentimentos retraídos. Há apenas sete semanas, Tyler, seu irmão mais novo, cometeu suicídio, e ela não consegue mais se lembrar de como é ser feliz.
O divórcio dos seus pais, as provas para entrar na universidade, os gastos com seu carro velho. Ter que lidar com a rotina mergulhada numa apatia profunda é um desafio diário que ela não tem como evitar. E no meio desse vazio, Lex e sua mãe começam a sentir a presença do irmão. Fantasma, loucura ou apenas saudade falando alto? Eis uma das grandes questões desse livro apaixonante.
O Último Adeus é sobre o que vem depois da morte, quando todo mundo parece estar seguindo adiante com sua própria vida, menos você. Lex busca uma forma de lidar com seus sentimentos e tem apenas nós, leitores, como amigos e confidentes. ”

O Último Adeus conta a história da Lex, uma menina de 18 anos que está vivenciando o momento mais difícil de toda a sua vida. Faz algumas semanas que seu mais novo e único irmão cometeu suicídio, bem na garagem de casa, as coisas para Tyler estavam se tornando sufocantes demais. Tudo que lhe restara além das lembranças foi um post it escrito: “Desculpa mãe, mas eu estava muito vazio. ”

Definitivamente as coisas são bem difíceis para aqueles que aqui ficam com apenas as recordações, Lex e Ty eram bem mais que irmãos, eles eram amigos. Agora Lex se encontrava sozinha e se culpava por ter deixado isso acontecer, como ela não percebeu o que estava acontecendo? Por que ela não cumpriu com a sua promessa?! Por que ele não cumpriu a dele?! Lex estava destruída.


O divórcio dos seus pais foi com certeza o grande divisor de águas das decisões de Ty, e agora Lex e sua mãe trilhavam essa dolorosa passagem sozinhas. Sua mãe se entregara a tristeza profunda, vivia dopada de remédio com a ajuda de vários goles de álcool, o choro que permanecia constante não cessava como as lágrimas de Lex que pareciam ter secado de tristeza.



Ainda que sua mãe esteja totalmente desorientada, ela se preocupa com toda a quietude de Lex, a dor interior e silenciosa. Com isso resolve contratar um terapeuta para ajudar sua filha a expor sua dor, para que quem sabe com o tempo ela se torne amena. E foi assim que tudo começou, Lex estava cansada de ser a pobre coitada irmã do menino que se matou, ela queria entender o porquê daquilo tudo, mas como? Com a recusa em tomar tranquilizantes ou qualquer tipo de medicamento, seu terapeuta sugere que Lex comece a escrever um diário, contando tudo o que sente, as lembranças, seus desejos e medos. Sugere que ela escreva para alguém ou até mesmo para Ty, o que ela acha um absurdo.

Ela teme que sua recusa ao usar medicamentos tenha sido um erro quando começa a enxergar o fantasma do seu irmão, bem perto e com seu cheiro. O que?! Fantasma?! Ela se apavora ao notar que pode realmente estar ficando maluca, é quando ela entra no quarto do irmão e o vê novamente. Vê também um detalhe que não passou desapercebido, uma gaveta aberta com uma carta destinada a ex de Ty, e é então que ela começa a se questionar se a carta mudaria alguma coisa e se deveria realmente entregar.



O livro inteiro é narrado em primeira pessoa, por uma personagem marcada de personalidade e muito forte. Lex parece real, cheia de decisões erradas e arrependimentos os quais corre para conserta-los enquanto ainda é tempo. A escrita é fascinante e a autora consegue te transportar lhe trazendo sensações como se você estivesse na história, o que obviamente vai lhe fazer sofrer um bocado.

Amei todos os personagens secundários, eles não roubam o destaque de Lex, mas todos têm um papel extremamente relevante para a concretização da história, e sinceramente eu iria amar ter os amigos de Lex para mim, todos adoráveis.

Esta história me surpreendeu, de início eu imaginei que seria mais uma narrativa sobre o suicídio (o que não deixa de ser agregador) mas o que li não foi isso, é sobre superação, sobre a dor daqueles que ficam e que de alguma maneira precisam seguir em frente, mesmo que em passos de formiga. Me emocionou o fato da autora ter passado por tais acontecimentos, ainda que afirme que ela não é de forma alguma a Lex e seu irmão o Ty.

Livro lindo, edição mais linda ainda porque a Darkside sempre arrasa. Espero que gostem desta leitura.




Beijos :*

Comente com o Facebook:

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...